Jornal a Voz do paraná
HomeNoticiasCidadesCorpo do goleiro Danilo é sepultado em Cianorte sob lágrimas e aplausos

Corpo do goleiro Danilo é sepultado em Cianorte sob lágrimas e aplausos

Corpo do goleiro Danilo é sepultado em Cianorte sob lágrimas e aplausos

O corpo de Danilo Padilha foi sepultado às 16h50 no Cemitério Municipal de Cianorte, cinco dias após morrer na tragédia com a delegação da Chapecoense, na Colômbia. Milhares de pessoas deram o último adeus ao jogador, que nasceu e iniciou a carreira na cidade.

O velório começou às 2h50 da madrugada. O caixão foi levado num caminhão do Corpo de Bombeiros. Antes, percorreu ruas e avenidas de Cianorte, incluindo o campo de futebol perto da casa dos pais, na Vila Sete, onde Danilo começou a jogar, aos 8 anos.

Em todo o percurso as pessoas aplaudiam o jogador e gritavam o nome dele. O clima de comoção foi muito grande na Capital do Vestuário.

No momento em que o caixão estava prestes a descer à lápide um torcedor arrancou um camiseta do Cianorte, autografa por Danilo, quando ainda defendia o time, e a entregou à mãe do jogador.

Alaíde Padilha acompanhou o corpo do filho no caminhão, que estava com a sirene ligada. Nos minutos finais do velório, ela conversou com os jornalistas e se disse “perdida” em meio ao sentimento de dor.

“Vocês deixam eu subir no caminhão dos Bombeiros agora para levar meu filho? Será que vou ter forças pra fazer isso? Vocês deixam eu fazer, e posso te dar um abraço?”, falou ela ao jornalista Weslle Montanher, do jornal ‘Tribuna de Cianorte’ e correspondente de OBemdito.

Mais uma vez, a funcionária do departamento financeiro de uma rádio local surpreendeu a todos com gestos de compaixão e amor.

A mãe de Danilo pediu apoio para que o time da Chapecoense, que tantas alegrias deu a seu filho, siga em frente. “Quero pedir para o Brasil e o mundo. Abracem a Associação Chapecoense. Façam dela uma equipe de novo, guerreira. Aquela torcida ficou órfã”, conclamou.

Alaíde disse que a força que vem demonstrando é reflexo da grandiosidade da torcida chapecoense. “Eu to perdida. Já não tenho mais o que chorar. Estou há uma semana sem dormir. Meu sentimento tá perdido. Eu quero dizer que amo cada um (dos torcedores)”.

Danilo morreu na terça-feira (29), no hospital de La Unión, próximo de Medellín, na Colômbia, horas depois de ser resgatado com vida do acidente com o avião que levava jogadores, comissão técnica, jornalistas e convidados da Chapecoense.

Informações são do site O Bem Dito.

Rate This Article
Author

caio@iconeinternet.com.br