Jornal a Voz do paraná
HomeNoticiasDestaqueMesa Brasil prevê arrecadação de 140 toneladas de alimentos

Mesa Brasil prevê arrecadação de 140 toneladas de alimentos

Mesa Brasil prevê arrecadação de 140 toneladas de alimentos

Desenvolvido pelo Sesc, o Mesa Brasil é um programa de coleta, seleção e distribuição de alimentos

Desenvolvido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc), o Programa Mesa Brasil é uma rede nacional de banco de alimentos contra a fome e o desperdício. O intuito do programa é contribuir para a promoção da cidadania e a melhoria da qualidade de vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social, em uma perspectiva de inclusão à sociedade. Trata-se, essencialmente, de um Programa de Segurança Alimentar e Nutricional, baseado em ações educativas e de distribuição de alimentos excedentes ou fora dos padrões de comercialização, mas, que ainda podem ser consumidos.
Assim, o Mesa Brasil Sesc busca onde sobra e entrega onde falta. De um lado, contribui para a diminuição do desperdício e de outro reduz a condição de insegurança alimentar de crianças, jovens, adultos e idosos. Em ambos os polos desse percurso, as estratégias de mobilização e as ações educativas incentivam a solidariedade e o desenvolvimento comunitário.
Em entrevista ao jornal A Voz do Paraná, o gerente executivo do Sesc-Cascavel, Luiz Alberto Langoski, a nutricionista Anna Paula Liberali Klaime e o assistente social Pedro Henrique Girotto Ribeiro, enfatizam que o programa visa, além da coleta e distribuição de alimentos, sensibilizar para o consumo sustentável de alimentos.
De acordo com Luiz Alberto Langoski, o programa mostra que o mundo vive uma crescente aceleração no número populacional e que cada vez mais é necessário o consumo consciente dos alimentos. “Vemos um mundo em que cada vez mais precisa-se alimentar mais pessoas e logo vamos chegar aos 10 bilhões de habitantes no planeta. Precisamos alimentar a todos e como fazemos para usar esse recurso melhor, para produzir no mesmo espaço de terra o dobro do que é produzido? Creio que tudo é um desafio e acredito que começa justamente por essa situação que vemos hoje, que é o desperdício do alimento. Se nós produzimos, o ideal é que realmente tudo seja aproveitado. O que podemos fazer para minimizar o desperdício, para fazer com que as pessoas tenham uma refeição completa, nutritiva, adequada?”, ressaltou o gerente executivo do Sesc-Cascavel.
Além disso, Luiz Langoski destaca que o Mesa Brasil Sesc tem por vocação atender as pessoas. “O programa tem essa vocação de realmente atender pessoas e instituições que estejam precisando de alimentos. É nesta hora que entra o trabalho desenvolvido pela nutricionista Anna Paula Liberali Klaime, pelo assistente social Pedro Henrique Girotto Ribeiro e por toda a equipe do Mesa Brasil”, disse.
Em Cascavel, 32 empresas doam alimentos, que chegam para 69 instituições, que atendem mais de nove mil famílias em nove cidades da região. Para este ano, o programa pretende bater o recorde de 140 toneladas de alimentos arrecadados e distribuídos.
Segundo a nutricionista do Sesc, Anna Paula Liberali Klaime, além da distribuição de alimentos, o programa busca a formação dos beneficiários com medidas socioeducacionais. “O trabalho do Mesa Brasil Sesc vai além da distribuição de alimentos. O programa desenvolve ações educativas nas áreas de nutrição e serviço social com o objetivo de promover a alimentação adequada, a reeducação alimentar e fortalecer as instituições assistidas”, salientou a profissional.
A dimensão educativa é um diferencial do Mesa Brasil Sesc, porque o programa não valoriza a cultura do assistencialismo, mas, potencializa o trabalho por meio da formação de agentes multiplicadores. Para isso, o Mesa Brasil promove atividades, como: cursos, oficinas e palestras para difusão de conhecimentos, troca de informações e experiências junto aos profissionais, voluntários e beneficiários das entidades sociais, bem como, às empresas doadoras.
Leia, a seguir, a íntegra das entrevistas:

Jornal A Voz do Paraná: Como funciona o programa desde a sua criação e quais são as missões e os valores?
Pedro Henrique Girotto Ribeiro: O Programa Mesa Brasil surgiu no Estado do Paraná em 2003 e, em Cascavel, no ano de 2006. Ele é um programa de segurança alimentar e nutricional que visa atender a população em situação de vulnerabilidade social. O Mesa Brasil funciona como uma rede entre o Sesc, as empresas doadoras e as instituições atendidas. O programa coleta alimentos que não tem mais o valor comercial, ou seja, alimentos que já estão perto do prazo de validade ou aqueles alimentos que estão nas gôndolas já não tão ‘bonitos’, mas que ainda estão bons para o consumo. Esses alimentos são retirados e os mercados, panificadoras e indústrias os doam para o programa. Nós temos um veículo que coleta esses alimentos, traz para o Sesc e nós distribuímos para as instituições cadastradas. Essas instituições são não-governamentais, que atendem a critérios a serem atendidos e que não tenham nenhuma cobrança. Os alimentos são distribuidos de duas formas: os que são classificados como complementar para a alimentação dentro da instituição, ou melhor, alimentos que são servidos dentro da instituição, como almoço, café da manhã ou lanche e aqueles para as famílias, que chamamos de cadastro familiar. A família leva esses alimentos para casa para complementar as refeições. Atualmente, nós estamos presentes em 9 municípios de abrangência, contamos com mais de 10 mil pessoas atendidas, 69 instituições e duas comunidades tradicionais indígenas em Diamante do Oeste.

Jornal A Voz do Paraná: Além das doações de alimentos tanto para instituições quanto para famílias, quais outras atividades que o programa desenvolve?
Pedro Henrique: Nós realizamos ações educativas que auxiliam essas instituições, seja na questão nutricional, nas manipulações dos alimentos, aproveitamento integral dos alimentos doados ou na área de serviço social, para captação de recursos e gestão de voluntários da própria organização.
Anna Paula Liberali Klaime: Nós incentivamos o aproveitamento integral dos alimentos. Essas ações educativas visam a capacitação de multiplicadores dessa informação. Nós capacitamos representantes de entidades que nós atendemos e eles vão multiplicando essas informações.

Jornal A Voz do Paraná: E em Cascavel, qual é a média de arrecadações?
Anna Paula: Nós pretendemos alcançar o montante de 140 toneladas de alimentos arrecadados em 2019. O programa funciona o ano todo, só fechamos nas férias coletivas entre dezembro e janeiro, por um período de 20 dias.
Jornal A Voz do Paraná: Como você se sente recém assumindo o Sesc e já pegando uma missão tão grande que é atingir a meta de 140 toneladas de alimentos e iniciar a atuação em Toledo?
Luiz Alberto Langoski: Eu acredito que toda meta é um grande desafio. Há uns 20 anos, eu ouvi uma frase do presidente da IBM, onde ele dizia que toda meta que eu sei como bater, não é uma boa meta, porque, a meta é desafio a ser superado. Eu já vinha acompanhando o programa em Cascavel. O Sesc sempre teve um trabalho excepcional em relação a esse produto que temos que é o Mesa Brasil. É algo que está cada vez mais sensibilizando, principalmente, os grandes empresários, proprietários de empresas que podem contribuir, porque, Vemos um mundo em que cada vez mais precisa-se alimentar mais pessoas e logo vamos chegar aos 10 bilhões de habitantes no planeta. Precisamos alimentar à todos e como fazemos para usar esse recurso melhor, para produzir no mesmo espaço de terra o dobro do que é produzido? Creio que tudo é um desafio e acredito que começa justamente por essa situação que vemos hoje, que é o desperdício do alimento. Se nós produzimos, o ideal é que realmente tudo seja aproveitado. O que podemos fazer para minimizar o desperdício, para fazer com que as pessoas tenham uma refeição completa, nutritiva, adequada? E o Mesa Brasil tem essa vocação de realmente atender pessoas e instituições que estejam precisando de alimentos. É nesta hora que entra o trabalho desenvolvido pela nutricionista Anna Paula Liberali Klaime, pelo assistente social Pedro Henrique Girotto Ribeiro e por toda a equipe do Mesa Brasil. Esse mês, chegamos a 18 toneladas de alimentos arrecados, o que mostra a confiança que nossos parceiros têm em relação ao nosso trabalho. O trabalho é desenvolvido pela equipe com muita transparência, existe um controle muito forte. O empresário sabe que se ele vai realizar a doação e terá todo o fluxo dessa doação, saberá onde ela irá chegar e quantas pessoas estão sendo beneficiadas. Isso é muito bom, tanto que eu sempre comento que em relação ao Mesa Brasil eu sou um aprendiz, porque é um programa com muitos detalhes, é um projeto muito rico na questão de desenvolvimento, do controle, do seu rigor até, porque, nós estamos mexendo com alimentos, então, é algo demanda cuidados no armazenamento, na manipulação, no transporte. É algo realmente encantador. Como já mencionado, o projeto surgiu em 2003, não é algo recente, já tem seus 16 anos de atuação no Paraná e é um projeto que tem no Brasil inteiro. Eu fico orgulhoso de ter esse produto em Cascavel, são 7 cidades no Estado que tem esse programa, muitas cidades estão querendo entrar no Mesa Brasil, a exemplo de Toledo, mas, entra toda uma situação de estrutura, porque se faz necessário uma equipe grande para conseguir administrar todas as ações, sem falar em todo cuidado. O que o Sesc pode fazer é dar estrutura aos que pedem que o Mesa Brasil esteja presente.

Jornal A Voz do Paraná: Com que perfil o senhor pretende supervisionar o programa Mesa Brasil em Cascavel?
Luiz Alberto: Eu estou tendo um grande aprendizado com a equipe do Sesc de Cascavel. Eu, como gestor, acabo tendo uma responsabilidade muito grande. Simbolicamente, alguém pegou a chave da instituição e entregou na minha mão, dessa forma, eu cuido muito mais da empresa do que da minha própria vida. O que para a minha pessoa é fundamental e muito importante, é a relação com os funcionários. Eu tenho uma função hierárquica de um modelo de gestão que é feito dessa forma, mas, a relação com os funcionários na mesma linha, acredito que quando nós ganhamos, nós ganhamos coletivamente e quando perdemos, perdemos coletivamente. Eu sou uma pessoa que não gosta de perder, estamos fazendo um trabalho para proporcionar coisas positivas, proporcionar vitórias, mas, eu não faço isso sozinho, mesmo eu querendo fazer as coisas do melhor jeito possível, se eu não tiver a equipe junto comigo, não terei bons resultados. O Sesc é uma instituição social e temos os nossos desafios, os nossos compromissos, sempre trabalhando em prol do ser humano, com determinação, empatia, comprometimento e transparência. Dessa forma, eu não vejo um outro caminho a não ser um resultado positivo. No mundo corporativo, sempre vamos buscar resultados positivos, todos nós temos metas. Cascavel tem uma equipe muito bacana, mas, eu acho que o meu papel quanto gestor é sempre tentar lapidar cada vez mais para possamos crescer cada vez mais. Cascavel tem uma representação no Estado do Paraná muito forte, muito intensa e nós precisamos dar esse resultado, precisamos mostrar que o nosso trabalho está mudando uma sociedade e estamos contribuindo com a qualidade de vida das pessoas.

Para ser um doador, entrar em contato pelo telefone: (45) 3219-5450.

Rate This Article

avozdoparana@jornalavozdoparana.com.br