Jornal a Voz do paraná
HomeHomeEntrevista homePiolla: Foz vai sair fortalecida depois dos escândalos

Piolla: Foz vai sair fortalecida depois dos escândalos

Piolla: Foz vai sair fortalecida depois dos escândalos

Foz do Iguaçu vive um cenário de incertezas políticas. Novas eleições foram convocadas para o dia 2 de abril de 2017. Apesar do “escândalo” político, em que a Terra das Cataratas foi notícia nacional, o superintendente de Comunicação Social da Itaipu, Gilmar Piolla, em entrevista ao jornal A Voz do Paraná, diz que a situação experienciada pelo município na última gestão precisa servir de exemplo para que o novo gestor público possa colocar novamente a cidade no rumo do desenvolvimento. “Desejo que o novo prefeito supere os escândalos, consiga retomar a qualidade dos serviços públicos que ficaram prejudicados com esses problemas todos de corrupção, que transformaram a cidade em manchete nacional. Vença quem vencer, estaremos trabalhando juntos para dar o melhor por Foz do Iguaçu”, afirmou o jornalista.
Com este pensamento, Gilmar Piolla, que colocou seu nome como pré-candidato à Prefeitura de Foz do Iguaçu, destaca que “não é nenhum segredo o meu desejo de ser prefeito de Foz do Iguaçu e, dessa forma, poder retribuir a essa cidade – que me acolheu com tanta generosidade a ponto de me conceder, em 2010, o honroso título de Cidadão Honorário – tudo o que recebi nestes últimos quinze anos, oito deles na qualidade de morador. Mas ainda não será desta vez que poderei realizar este sonho. Por ironia, as novas eleições foram convocadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) para o próximo dia 2 de abril, exatos sete dias antes de eu completar os seis meses de filiação partidária exigida pela legislação em vigor”, destacou o superintendente de Comunicação Social da Itaipu, enfatizando que “este projeto, para o qual venho me preparando há quase uma década e que já está maduro, terá que ser adiado mais uma vez. Embora consultas realizadas com alguns especialistas em direito eleitoral tenham indicado que eu poderia encontrar brechas jurídicas para me colocar na disputa, decidi que não farei isso. Por uma razão de coerência política e compromisso com Foz”.
Sensato e pensando no crescimento de Foz do Iguaçu, Gilmar Piolla comenta que “forçar uma candidatura amparado em uma decisão judicial provisória – que poderia ser revertida nas instâncias superiores – seria prestar um enorme desserviço para uma cidade que anseia por retornar à normalidade político-administrativa depois de ter sido tão maltratada pelos desmandos da última gestão. Acredito que forçar uma candidatura amparado numa decisão judicial provisória – que poderia ser revertida nas instâncias superiores – seria prestar um enorme desserviço para uma cidade que anseia por retornar à normalidade político-administrativa depois de ter sido tão maltratada pelos desmandos da última gestão”, salientou.
Falando sobre o futuro de Foz do Iguaçu, Gilmar Piolla acredita que Foz do Iguaçu poderá ter avanços extraordinários nos próximos quatro anos se puder contar com uma prefeitura engajada na viabilização de importantes projetos de desenvolvimento urbano e infraestrutura já elaborados e encaminhados junto aos órgãos do governo Federal. “Vamos construir, juntos, uma cidade acolhedora, inclusiva, moderna e com qualidade de vida para todos os seus moradores. Este é o sonho que eu tenho para Foz do Iguaçu, cidade que eu escolhi para criar meus filhos. Um sonho do qual – felizmente – não preciso abrir mão por não poder ser candidato a prefeito desta vez”.
Leia, a seguir, a íntegra da entrevista:

Jornal A Voz do Paraná – A Itaipu sempre está presente nos eventos da região e, muito particularmente, você está presente na maioria dos municípios. A exemplo disso, você prestigia o lançamento da Fespop em Santa Terezinha de Itaipu…
Gilmar Piolla – A Fespop tem sido um sucesso a cada ano, ela nos surpreende e melhora muito, dando um show de qualidade. Eu acredito que esse ano não vai ser diferente, estamos renovando a nossa parceria com a Prefeitura de Santa Terezinha de Itaipu em torno desse evento, trazendo o nosso apoio. Estaremos presentes com o estande da Itaipu levando aquela experiência fantástica que é uma viagem à Itaipu em realidade virtual. É uma imersão em realidade virtual que foi o maior sucesso no Show Rural Coopavel em Cascavel, e tem sido nas feiras regionais. Vamos trazer essa experiência dos óculos para que o público da Fespop possa fazer essa imersão na hidrelétrica.

Jornal A Voz do Paraná – Você tem um carinho muito grande pela região Oeste e, evidentemente, por Foz do Iguaçu, onde você reside. Infelizmente, por uma situação que foge a sua vontade, você não conseguiu ser candidato para a Prefeitura de Foz do Iguaçu. De repente, em um futuro ainda apareça essa oportunidade para governar o município. A região carece de novas lideranças políticas. Como é que você vê o Oeste do Paraná no aspecto político?
Piolla – O Oeste do Paraná é uma região que tem revelado muitas lideranças políticas para o Estado. Nós temos muitos deputados federais que saíram da região Oeste do Paraná e que vão buscar votos em outras regiões para poder se eleger, ou seja, acredito que estamos bem representados tanto na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, como também na Câmara dos Deputados, em Brasília. Têm surgido também novos nomes à frente das prefeituras, dos governos municipais, à frente também das entidades representativas. Eu, em Foz do Iguaçu, gostaria muito de ser candidato, mas não deu, o calendário eleitoral foi muito apertado, o TRE marcou a eleição para o dia 2 de abril. Para se ter uma ideia, se tivesse marcado para o dia 9 de abril eu poderia ter saído candidato. Eu vou acompanhar esse pleito, conheço todos os candidatos, desejo boa sorte e quem for vencedor, estou assumindo o compromisso de trabalhar com quem vier a vencer o pleito para darmos o melhor que pudermos por Foz do Iguaçu. Desejo que a cidade supere esse trauma da última gestão, supere os escândalos, consiga retomar a qualidade dos serviços públicos que ficaram prejudicados com esses problemas todos de corrupção, que transformaram a cidade em manchete nacional. Vença quem vencer, estaremos trabalhando juntos para dar o melhor por Foz do Iguaçu.

Jornal A Voz do Paraná – Na sua concepção, qual é o perfil do próximo prefeito de Foz do Iguaçu?
Piolla – Se prevalecer à vontade do eleitor, eu acredito que o eleitor quer alguém que além de honesto, seja experiente, competente, trabalhador e um bom gestor, para que possa conduzir bem a cidade para um futuro melhor.

Jornal A Voz do Paraná – Existe alguma frustração pequena pelo menos, de você não ter conseguido ser candidato?
Piolla – Não. Eu sabia que bem provavelmente não daria tempo, eu fiz uma aposta quando tivemos aquele problema do não reconhecimento da vitória do Paulo Mac Donald Ghisi, quando teve a impugnação do resultado da candidatura dele. Eu me filiei, imediatamente, apostando que a eleição iria acontecer em maio ou junho, que desse tempo, acabou não dando, mas não vou ficar lamentando, acho que temos que olhar para frente e pensar em ajudar, quem quer que seja o vencedor do dia 2 de abril. Mesmo sem poder ser candidato, eu pretendo participar ativamente do debate. Embora consultas realizadas com alguns especialistas em direito eleitoral tenham indicado que eu poderia encontrar brechas jurídicas para me colocar na disputa, decidi que não farei isso. Por uma razão de coerência política e compromisso com Foz. Com toda modéstia, creio que o trabalho realizado ao longo dos anos e os projetos que ajudamos a pensar para Foz do Iguaçu me permitem dar uma importante contribuição.

Jornal A Voz do Paraná – Você teria algum modelo de governo que iria implantar em Foz do Iguaçu?
Piolla – Um governo de ruptura, incialmente, com esses esquemas de práticas existentes, que nos envergonharam perante o País e, ao mesmo tempo, implantar uma nova cultura de gestão baseada em resultados. Eu acredito que você tem que transpor algumas práticas do setor privado para o setor público, para que a gestão possa melhorar. Eu acho que dava para fazer uma boa gestão em Foz, dava para inovar, dava para fazer coisas que as últimas administrações não fizeram, dava para dar um salto no desenvolvimento da cidade, mas vamos torcer para que vença o melhor e que possamos estar trabalhando juntos para que a cidade volte a se desenvolver.

Jornal A Voz do Paraná – Foz do Iguaçu não se tornou grande de mais perto dos governos que passaram recentemente pelo município?
Piolla – As nossas últimas gestões da cidade pecaram muito por não ter visão estratégica, de não entender que Foz do Iguaçu é uma cidade do mundo, é uma cidade que recebe turistas do mundo inteiro, que recebe gente de todas as etnias, que é uma cidade cosmopolita e, como tal, precisa ser governada, então, não pode ser governada como se fosse uma cidade de 50 mil habitantes e é nesse aspecto que as últimas gestões falharam. É por isso que devemos fazer uma escolha bem informada e consciente no próximo dia 2 de abril. Afinal, é o futuro que queremos para a nossa cidade que estará em jogo. Muitas vezes, o que se apresenta como novo é o que há de mais velho na política. É importante não se deixar enganar pela embalagem, nem pelas promessas de campanha.
Jornal A Voz do Paraná – Nesse contexto, em relação à expansão de Foz do Iguaçu, que ultrapassa as barreiras da região, do Estado, do País, pelo menos, até agora, ninguém acompanhou essa visão de trabalhar nesse sentido nessa forma de avanço…
Piolla – Eu acredito que a sociedade civil, as entidades em torno do Codefoz estão se fortalecendo. O Fundo Iguaçu também tem trabalhado em cima dos projetos estratégicos de infraestrutura para a cidade. Foz vem evoluindo em sua mentalidade, em sua concepção também de futuro, do que é melhor, ou seja, é um processo de amadurecimento que está a caminho. Eu acredito que nós vamos sair muito mais fortes desses episódios e espero colaborar fortemente para que isso aconteça. Tenho o maior orgulho de pertencer a uma cidade de encontros: de dois rios, de três povos e de uma multiplicidade de culturas e etnias. Chega de divisões forjadas por interesses mesquinhos e inconfessáveis. Vamos construir, juntos, uma cidade acolhedora, inclusiva, moderna e com qualidade de vida para todos os seus moradores. Este é o sonho que eu tenho para Foz do Iguaçu, cidade que eu escolhi para criar meus filhos. Um sonho do qual – felizmente – não preciso abrir mão por não poder ser candidato a prefeito desta vez.

Jornal A Voz do Paraná – Como você avalia a Foz do futuro?
Piolla – Como sou uma pessoa otimista, acredito que Foz do Iguaçu poderá ter avanços extraordinários nos próximos quatro anos se puder contar com uma prefeitura engajada na viabilização de importantes projetos de desenvolvimento urbano e infraestrutura já elaborados e encaminhados junto aos órgãos do governo Federal. Além da revitalização da Ponte da Amizade – obra já executada -, como presidente do Fundo Iguaçu, levei à frente a elaboração dos estudos e projetos técnicos de engenharia para o novo Plano Diretor e o novo sistema de pistas do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, a duplicação da Rodovia das Cataratas e o viaduto da Avenida Costa e Silva, obras vitais para o desenvolvimento do turismo que – como todos sabemos – é um dos principais motores da economia de Foz do Iguaçu e região. Conduzi, também, os estudos de viabilidade e modelagem do edital para concessão do Marco das Três Fronteiras e Espaço das Américas. Da mesma forma, coordenamos a elaboração dos projetos de revitalização das Praças da Bíblia, Paz e Mitre. Além do Masterplan do projeto Beira Foz, que foi incorporado ao novo Plano Diretor, em tramitação na Câmara de Vereadores e a revitalização da Avenida das Cataratas. Outro projeto em fase bastante adiantada de maturação é o Mercado Municipal, que será instalado na antiga sede da Cobal, na Vila A. Esta iniciativa, liderada pela Itaipu e pela Fundação PTI, virá suprir uma deficiência da nossa cidade, oferecendo aos seus moradores uma opção para compra de produtos de qualidade diretamente dos produtores, fortalecendo a economia local e regional. Estes são só alguns exemplos de projetos de grande relevância para a nossa cidade que poderão andar mais rápido e sair do papel nos próximos anos se passarem a contar com o apoio e envolvimento do futuro prefeito. No turismo, mudamos a imagem da cidade. Foz virou quase unanimidade nacional. Somos um dos destinos que mais atraem turistas, eventos e investimentos privados.

Rate This Article
Author

caio@iconeinternet.com.br

feito com