Jornal a Voz do paraná
HomeHomeAgronegócio homeENMCOOP 2020: agronegócio, equilíbrio e qualidade de vida

ENMCOOP 2020: agronegócio, equilíbrio e qualidade de vida

ENMCOOP 2020: agronegócio, equilíbrio e qualidade de vida

O Encontro Nacional das Mulheres Cooperativistas 2020 aconteceu nos dias 29 e 30 de setembro, reunindo aproximadamente 10 mil mulheres que atuam em 200 cooperativas de todo o Brasil. Entre os vários temas abordados durante os dias de evento online estão: superação e resiliência, sucessão familiar, gestão financeira da propriedade e as perspectivas para o agronegócio no cenário político e econômico.

Na tarde desta terça-feira (29), a Copacol foi representada pela Elizete Lunelli Dal Molin, assessora de cooperativismo. Ela dividiu a tela e compartilhou sua experiência profissional com Fernanda Bacelar, que é cooperada da CAPAL (Arapoti) e também com a Mirna Cristina Klein Fúrio, assessora de cooperativismo da C.Vale.

Com um tema bastante instigante
‘Em busca do equilíbrio, trabalho, felicidade, bem estar e qualidade de vida’ – cada uma delas contou um pouco das suas histórias de vida, pessoal e profissional, dentro do agronegócio, os desafios superados em todos os anos de trabalho junto ao cooperativismo e também o que elas estão aprendendo neste momento de pandemia.

“Tivemos uma desaceleração com a pandemia. Tivemos que parar e refletir. Ficamos em casa e isso nos proporcionou uma percepção de coisas importantes que antes não dávamos valor. Tivemos que buscar equilíbrio, dedicar mais tempo para nós mesmas e para as pessoas que estão ao nosso lado. Tivemos que saber lidar com a ansiedade, a viver o presente com consciência cada etapa da vida”, argumentou Elizete.

A busca por novas oportunidades sempre foi evidente na Copacol. Porém, com a pandemia, se tornou ainda mais necessária. Durante o painel, Elizete comentou exemplificou os desafios enfrentados e a superação dos grupos femininos para aprender ainda mais.

“Acredito que o autoconhecimento sempre foi importante para o desenvolvimento de qualquer pessoa. Isso é necessário dentro dos grupos femininos, para que as mulheres possam transformar a realidade da vida delas, na família e na comunidade. Nós damos a oportunidade para elas buscarem essa evolução e poderem exercer o papel da mulher, onde elas estiverem”, destaca.

Programação
Durante estes dois dias, serão abordados temas como: os desafios da inclusão feminina no agronegócio; cooperativas transformando o campo; núcleos femininos transformando a sociedade; as perspectivas do agronegócio no cenário político e econômico; tecnologias digitais; superação e resiliência; a grande arte de se reinventar; entre tantos outros assuntos.

Rate This Article

avozdoparana@jornalavozdoparana.com.br