Noticias

Richa garante construção de hospital para Cascavel

Em entrevista à Radio Colméia, de Cascavel, na quinta-feira (12), o governador do Paraná, Beto Richa, reafirmou o compromisso do governo do Estado de construir o Hospital Municipal, que deverá ficar na zona norte, região mais populosa da cidade. Serão R$ 8 milhões em investimentos. “A obra está prevista no orçamento e o projeto é de responsabilidade do município”, disse Richa, que também destacou outros investimentos na saúde da população da região, como o aporte de recursos do governo do Estado para o funcionamento dos hospitais e a implantação da ala de queimados do Hospital Universitário do Oeste do Paraná.

Richa lembrou da parceria do Estado com a Prefeitura de Cascavel para a pavimentação asfáltica de ruas da cidade e o repasse de recursos para a ampliação da pista e do terminal de passageiros do aeroporto de Cascavel. “Fizemos todas as obras pedidas pelos moradores da região. Sempre procurei fazer mais pelo Paraná, recuperar o tempo perdido no Estado”.

Na entrevista, o governador também falou sobre a queda da arrecadação no Estado e a necessidade de colocar em prática medidas de austeridade para preservar a economia e a capacidade de investimentos do Paraná. “Ninguém esperava por uma crise tão aguda no plano nacional e isso derrubou nossas arrecadações”, disse Richa. Somente em janeiro, o Paraná perdeu R$ 500 milhões em receitas. “Mas este não é um problema único do Paraná. Todos os estados estão com dificuldades e especialmente os menores municípios, que acompanham a redução sistemática de repasses de governo federal”, contou o governador.

Richa ressaltou que foi o primeiro governador a tomar as medidas para reduzir custos. “Todos os Estados estão apresentando medidas similares às nossas. Nós antecipamos a esta crise nacional, mas deu a impressão, para muitos, de que só o Paraná estava com problemas, o que não é verdade”, disse o governador.

Esta não é a primeira vez que o Governo do Estado adota medidas para conter despesas e enxugar a máquina. Há um ano e meio, houve a eliminação de três secretarias e de mil cargos comissionados. Neste ano, também foram extintas mais três secretarias. Já o valor dos salários do governador, vice-governadora e de secretários foi congelado e não teve reajustes.
DÍVIDA
O governador afirmou que em quatro anos do primeiro mandato conseguiu recuperar a confiança das indústrias, que já não investiam mais no Estado, e que reduziu expressivamente a dívida do Paraná.

Em 2010, o valor era de R$ 4,5 bilhões e hoje é de aproximadamente R$ 1,5 bilhão. “Também arcamos com os aumentos de repasses aos outros poderes, ao Tribunal de Contas, Ministério Público e à Assembleia Legislativa. Mesmo assim, reduzimos a dívida, não deixamos de investir em obras necessárias para o Estado, nunca atrasamos o salário dos servidores e tivemos avanços.”

Ele citou como exemplo a contratação de 10 mil policiais, de 24 mil professores, a compra de 1.500 viaturas, duplicação de importantes rodovias e a criação da Defensoria Pública. “Hoje, o governo tem obras nos 399 municípios. Nunca essas cidades receberam um volume tão grande de investimentos”, afirmou.

EDUCAÇÃO
Richa falou ainda sobre o fim da greve dos professores estaduais e destacou que sempre procurou o diálogo com os trabalhadores.

O governador lembrou que os professores receberam 60% de aumento salarial nos últimos quatro anos e um aumento de 75% na hora-atividade, o que garante mais tempo para preparar aulas e correções de trabalhos e provas. “Os investimentos também cresceram nas escolas, proporcionando melhor qualidade à merenda escolar, com alimentos frescos e orgânicos. O repasse de recursos para os prefeitos cobrirem gastos com transporte escolar foi quadruplicado”, disse Richa.