Noticias

Programa Remédio em Casa beneficiará 2 mil pessoas

O programa Remédio em Casa foi lançado na quarta-feira (26), na Unidade Básica de Saúde (UBS) Alvorada I. A proposta que beneficiará aproximadamente 2 mil pessoas tem como objetivo entregar na casa dos moradores atendidos pela rede pública de saúde medicamentos de uso contínuo para hipertensão e diabetes. O projeto vai atender primeiramente os moradores da UBS Alvorada I e, após avaliação e ajustes, será ampliado gradativamente para as demais unidades. Estiveram presentes na cerimônia de lançamento o prefeito Roberto Pupin, secretários municipais, o gerente da Agência do Trabalhador, Maurílio Mangolin, o superintendente do Aeroporto, Fernando Camargo, o assessor de Promoção da Igualdade Racial, Hercules Ananias, o presidente da Câmara Municipal, Chico Caiana, o vereador Manoel Sobrinho, o vereador Edson Luiz, equipes da UBS, convidados e comunidade. A secretária de Saúde, Carmen Inocente, agradeceu ao prefeito a dedicação com a saúde dos maringaenses. “São poucas as cidades no Brasil que oferecem esse tipo de atendimento. O nosso objetivo é facilitar a vida dos pacientes que fazem uso contínuo desses medicamentos. Agradeço também a equipe da UBS, que abraçou a ideia e explico porque o lançamento foi feito no Alvorada I: por ser uma unidade antiga, aqui temos 100% de cobertura da saúde da família”, destacou. Ela pontuou ainda que é preciso o paciente demonstrar interesse em receber o medicamento em casa. O prefeito Roberto Pupin destacou o benefício para a população. “Aqui está mais um compromisso de campanha que estamos cumprindo. É preciso ter cuidado com os nossos pacientes, que devem ter um convívio na UBS, participar das atividades para que a equipe passe a conhecer as necessidades de cada um. Vão ser beneficiados pelo programa os pacientes que tenham hipertensão e diabetes, em situação estável, controlados clinicamente e que estejam impossibilitados de retirar os medicamentos na unidade”, completou. O presidente da Câmara, Chico Caiana, parabenizou a iniciativa. “Parabenizo o prefeito por estar cumprindo mais um compromisso com a população maringaense. Agradeço também aos envolvidos e responsáveis por tornar possível esse programa”, disse. O vereador Edson Luiz saudou os presentes. “Fico feliz em ter mais um projeto lançado no Jardim Alvorada. Costumo dizer que o Alvorada é uma cidade dentro da cidade, o bairro corresponde a 35% da população de Maringá”, pontuou, parabenizando a Secretaria de Saúde e administração municipal. REMÉDIO EM CASA Para participar do programa é necessário morar em Maringá, ter o cartão Saúde Maringá e estar cadastrado na rede de saúde do município, não usar insulina, fazer uso de medicamento para Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus prescrito pelo médico da Unidade Básica de Saúde ou da Equipe Saúde da Família (ESF), ter quadro clínico estável e controlado de suas doenças e problemas de locomoção ou estejam acamados. O paciente é inserido no programa pelo médico da Equipe Saúde da Família e cadastrado pela equipe de Saúde da Família para receber o medicamento em casa, sendo necessário estar dentro dos critérios estabelecidos para adesão no programa. A equipe da Saúde combinará uma data com o paciente para entregar o remédio em casa. Para não ficar sem receber os medicamentos, o paciente deve participar das reuniões de grupo de Hiperdia ou consultar o médico a cada três meses, atualizando a prescrição. ENTREGA A primeira caixa de medicamento foi entregue pelo prefeito Roberto Pupin acompanhado da equipe da UBS Alvorada I em uma residência do bairro. A paciente, Leni Prates de Morais, 65 anos, comemorou a iniciativa. “É uma bênção enorme receber o medicamento em casa e fico muito feliz em saber que fui a primeira. Estou aqui no bairro há 44 anos, vi a Unidade Básica de Saúde ser construída, fui na inauguração e é uma alegria agora participar desse momento”, disse. Ela e o esposo, Valdecir Prates de Morais, tomam remédio para hipertensão. “É para melhorar a vida de pessoas como a dona Leni que o projeto foi criado. Queremos acompanhar mais as pessoas que precisam e com isso poderemos cuidar melhor delas”, comentou o prefeito Roberto Pupin. O agente de saúde da família, Ilson Orioli, que integra a equipe 13 da UBS, revela a expectativa dos usuários da unidade sobre o programa. “Todos que atendemos estavam bastante ansiosos, principalmente porque além de monitorar a saúde, eles gostam da visita. Fazemos uma cobertura completa constantemente e com isso, criamos vínculos com os pacientes. Ficamos satisfeitos por ter também mais um recurso para oferecer à população”, observou. A UBS Alvorada I conta com 13 equipes preparadas para atender a demanda de pacientes daquela região do bairro. Dentro de cada caixa de medicamento entregue também será enviada uma carta apontando a frequência de recebimento dos medicamentos, orientação em caso de sobra de medicamento, para que haja devolução, entre outros pontos. “Antes de colocarmos em prática, fizemos toda a verificação, reuniões com funcionários, verificações de logística no bairro, prescrição do médico, entre outras situações levantadas e discutidas em conjunto. A adesão ao programa vai depender de cada pessoa, temos pacientes que preferem a retirada direto na UBS também. É por isso que o Alvorada I vai funcionar como projeto piloto dessa ação”, comentou também a gerente da Estratégia Saúde da Família, Andréia Maruiti.