Noticias

Governo Lunitti assina convênio para construção de 300 casas em Toledo

Um encontro na sala de reuniões da Prefeitura de Toledo na sexta-feira (18), serviu para firmar o convênio entre o município e a Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) para a edificação de 310 moradias populares, sendo 104 casas no Residencial Nascer do Sol, próximo ao Jardim da Mata, e 206 apartamentos no Complexo Residencial Guerino Pagnussat, no Jardim São Francisco. Antes disso, na quinta-feira (17), no Centro Cultural Ondy Hélio Niederauer, mutuários selecionados para receberem estas unidades habitacionais participaram de uma reunião para a orientação sobre a organização dos documentos necessários para a confirmação do benefício da casa própria. O gerente regional da Cohapar, Odejalma Cordeiro, informou, no momento da assinatura do convênio, que a reunião era a oportunidade para os parceiros – Secretaria de Habitação e Urbanismo, Cohapar, Copel, Sanepar e a Construtora F. Klas Obras e Saneamento Ltda – alinhar o papel de cada órgão na execução do empreendimento. O secretário de Habitação e Urbanismo, Igor Colla Januário, comentou que a entrega dos documentos dos mutuários já se inicia na segunda-feira (21). O representante da Construtora, Jaime Rockembach, disse que todas as documentações foram encaminhadas e a empresa está em fase de contratação com . “Temos todos os projetos tramitando. É nosso desejo iniciar o quanto antes estas obras e entregar casas de qualidade para a população toledana”, afirmou. A Copel e a Sanepar informaram que as redes de energia elétrica e água para o canteiro de obras já estarão disponíveis assim que a Construtora iniciar os trabalhos. O prefeito Beto Lunitti disse que esta celeridade é também o desejo da Prefeitura. “A nossa pressa é a mesma de cada uma daquelas famílias que espera pelas casas, pelos seus lares”. Beto frisou ao representante da Construtura F. Klas a necessidade de se executar um trabalho de qualidade. “Espero que seja a primeira de muitas obras de vocês em nosso município e para isso é preciso um trabalho bem feito”, concluiu. Seleção das famílias A Secretaria de Habitação e Urbanismo de Toledo e a Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) realizaram, na quinta-feira (17), no Centro Cultural Ondy Niederauer uma reunião com 329 inscrições no Programa Minha Casa, Minha Vida – Faixa 2, que beneficia famílias com renda entre R$ 1.600,00 e R$ 3.000,00. O objetivo foi sanar dúvidas com os primeiros selecionados a receberem o financiamento habitacional da Caixa Econômica Federal. Aqueles que estão em situação irregular terão prazo para colocar seus compromissos em dia. O diretor de Desenvolvimento de Projetos Habitacionais de Toledo, Matheus Ramos, explicou que a previsão é que sejam liberadas inicialmente as 104 casas, porém foram convocados outros inscritos no programa para receberem as orientações e se prepararem para atender as solicitações da Caixa Econômica, a fim de obter o financiamento habitacional. A Cohapar fará a função de correspondente da Caixa Econômica e fará a triagem da documentação necessária. Para que os inscritos no Programa Minha Casa, Minha Vida sejam contemplados eles deverão estar com toda a documentação em dia. “Aqueles que por ventura estiverem negativados nos cadastros de proteção ao crédito ainda terão a chance de regularizar essa situação. Algumas famílias aguardam há anos essa oportunidade de conquistar a casa própria e nós estamos fazendo aquilo que está ao nosso alcance. A reunião servirá para esclarecer as dúvidas e falar sobre os prazos para a entrega da documentação”, disse. Critérios Cabe ao Município estabelecer os critérios de seleção das famílias de acordo com a legislação vigente e os critérios estabelecidos pelo Ministério das Cidades. Para evitar favorecimentos o prefeito Beto Lunitti assinou o Decreto Nº 522, em 8 de dezembro de 2014 estabelecendo os critérios de seleção das famílias a serem contempladas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida e implantou um sistema informatizado para o controle dos inscritos. “Nos cadastros do município tem uma pontuação que equivale à ordem de colocação das famílias. Criamos um novo sistema que cadastra as famílias de acordo com a vulnerabilidade. Leva-se em conta número de filhos, renda, familiar doente, cadastro mais antigo, condições de moradia e vários outros quesitos. O próprio sistema faz a triagem e identifica a maior ou menor vulnerabilidade da família. O programa vai beneficiar quem mais precisa e não simplesmente quem fez primeiro o cadastro”, enfatizou Beto Lunitti. O prefeito disse ainda que os cadastros são fornecidos para a Cohapar, respeitando os critérios da lei. “Se qualquer pessoa em algum momento alterar as informações contidas no sistema, fica registrada a assinatura digital do responsável, não havendo possibilidade de fraudes. Caso haja uma má intenção ou manipulação dos dados, o sistema pode facilmente identificar e enviar um alerta para o técnico responsável e ficar evidente em uma auditoria”, frisou.