Noticias

Renda real do produtor rural paranaense dobrou em 15 anos

A renda média da agricultura paranaense dobrou nos últimos 15 anos. O Valor Bruto da Produção (VBP) Agropecuária, que mede o faturamento da porteira para dentro, aumentou 96% em termos reais (já descontada a inflação) entre 1999 e 2014, para R$ 68,1 bilhões. No período, a microrregião de Wenceslau Braz, no Norte Pioneiro, foi a que mais cresceu, com avanço de 162%, para R$ 1,8 bilhão. A microrregião de Irati, no Sudeste, ficou em segundo lugar, com crescimento de 152%, Apucarana (Norte) vem em seguida, com 146%, Prudentópolis, com 142%; e Pato Branco com 127%, ambos no Sudoeste. Os dados fazem parte de um levantamento inédito realizado pelo Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. Foram comparados os desempenhos de receita agropecuária das 39 microrregiões paranaenses (de acordo com a classificação do IBGE). A pesquisa utilizou as médias registradas entre 1997 e 1999 e 2012 e 2014. Os dados já descontam a inflação no período e utilizam a média para evitar distorções provocadas por eventuais efeitos de adversidades climáticas. Embora a microrregião de Toledo, no oeste do Estado, seja a campeã do VBP em termos absolutos, com R$ 7,3 bilhões, a agropecuária cresce acima da média em várias regiões. Das 39 microrregiões, em 22 delas os produtores tiveram crescimento real da renda acima da média do Estado. O engenheiro agrônomo Carlos Hugo Wincler Godinho, um dos responsáveis pelo levantamento, explica que Toledo, historicamente o maior VPB, tem um crescimento relativo mais lento justamente por isto, pois as cadeias que mais se expandiram no estado neste período já estavam consolidadas na região na década de 90. “O crescimento nesta região foi de 77%, abaixo da média estadual, o que reduziu a participação de Toledo, passando de 13% no final dos anos 90 para 12% atualmente”.