Noticias

Show Rural 2016 apresentará novas tecnologias

Em sua 28ª edição, o Show Rural Coopavel 2016, que este ano acontece entre os dias 1 e 5 de fevereiro, em Cascavel, traz ao público conhecimentos, tecnologias e oportunidades de negócios que contribuem com o aprendizado, a melhoria e o fortalecimento da economia do campo. Em meio a um cenário econômico turbulento, o Show Rural Coopavel vai revelar quanto os agricultores brasileiros estão dispostos a investir na temporada 2016/2017, que começa oficialmente em julho. A feira de tecnologia agrícola é a primeira do ano. Em 2015, o evento superou as expectativas dos organizadores ao prospectar negócios acima de R$ 2 bilhões, marca que não foi atingida por nenhuma outra exposição brasileira no ano. O evento contribui com o aprendizado de produtores rurais e a economia do agronegócio, trazendo a Cascavel as maiores e melhores empresas do setor. São mais de 230 mil visitantes buscando aumentar a produtividade de suas propriedades com o conhecimento e os negócios disponíveis em 720 mil m² de área, preparados para o visitante se preocupar apenas em aprender e fazer bons negócios, com entrada e estacionamento gratuitos, restaurante e lanchonete para refeições, além de confortáveis ruas cobertas. Em todos os stands, pesquisadores e profissionais capacitados estarão disponíveis para demonstrar funcionamento, aplicações e resultados dos produtos em exposição. Grandes empresas e marcas dos principais segmentos do agronegócio estarão disponíveis para comparação de produtos com preços especiais apenas para o Show Rural Coopavel. Além de aproveitar bons preços, o visitante poderá ainda negociar através de diversas linhas de crédito disponíveis nos stands dos maiores bancos e cooperativas de crédito diretamente no evento. Com quase 500 expositores e mais de 5.000 demonstrações e experimentos, o Show Rural Coopavel 2016 é uma oportunidade excelente para aqueles que desejam fazer networking, bem como realizar bons negócios! O evento ainda serve como palco para o lançamento de novas tecnologias, visando o aumento da produção para pequenas, médias e grandes propriedades. O diretor-presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, relembra que em 1989, no primeiro Show Rural Coopavel, a produtividade de soja era entre 1,6 mil a 1,8 mil quilos por hectare. Hoje, as lavouras do Paraná estão entre 3,6 mil a 4,2 mil quilos. O que representa um crescimento de mais de 100% em produtividade. Dentro do Show Rural Coopavel, os resultados das áreas de experimentos produzidos pelos expositores, eleva para próximo de 5 mil quilos por hectares. E é essa diferença maior que vai para o campo a curto prazo. Já no milho tínhamos 3 mil quilos por hectares, naquele ano e hoje a média da produtividade é de 9 mil quilos por hectares. “Os registros históricos dos últimos 25 anos no Brasil, apontam um crescimento de mais de 250% de produção e 50% em espaço territorial. Quando dividimos o que a produção nacional cresceu pelo aumento de área temos entre 4 e 5% de crescimento ao ano em produção. Por isso, eventos como o Show Rural Coopavel, tem um papel fundamento nisso. Aqui, as melhores empresas de insumo do mundo estão à disposição do produtor para posicioná-lo nesses níveis de produtividade”, explicou Dilvo. Neste ano, a participação de cinco grandes marcas de máquinas agrícolas foi cancelada: Case, New Holland, Valtra, Massey Ferguson e John Deere. De acordo com o presidente da Coopavel, a crise econômica não tem ligação com a ausência dessas empresas e o fato delas não comparecerem não irá comprometer o sucesso do evento, uma vez que existe uma fila de espera em torno de 60 empresas para expor na feira. A grande novidade de 2016 é um espaço exclusivo para o setor pecuário, nomeado Show Rural Pecuário. Uma área exclusiva para falar do assunto, que pode render muito para o Paraná que aposta em mercados alternativos no cenário internacional para este tipo de comércio. Para o produtor rural que deseja crescer em produtividade e qualidade, a presença no evento é fundamental. Porém, o evento é aberto ao público em geral e a participação da população é sempre bem-vinda, uma vez que a feira apresenta informações que ajudam na escolha de novas alternativas para a diversificação e o melhoramento da propriedade e na ampliação da renda das famílias e das empresas agrícolas. Além disso, pode-se esperar inovações na área frutífera, empresas como o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), inovaram a tecnologia na produção de frutas e pretendem apresentá-las no evento, a qual se dará através de um debate na Rodada Tecnológica com participação do Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) e ocorrerá no 2º dia do evento. Para que o evento atraia ainda mais visitantes, foram realizadas algumas ações de incentivo à visitação de modo a facilitar a vinda de todos os visitantes à feira. A expectativa é a que 240 mil pessoas passem pelo evento, entre agricultores, técnicos, demais profissionais ligados ao agronegócio e a comunidade. Além disso, devido a crescente visitação de mulheres, a Emater investiu no cenário das flores dentro do Parque Tecnológico da Coopavel. O público encontrará os três jardins que enfeitam o maior evento de agronegócio do País. Ao todo, são 350 mil espécies de flores cultivadas ao longo do ano pela empresa Emater, para que possam estar em perfeita harmonia durante o evento. Um trabalho de desenvolvimento dessas flores é feito com todo cuidado e este ano o tema será reciclagem, uma maneira de conscientizar os visitantes sobre a necessidade de preservação do meio ambiente. TECNOLOGIA Para Dilvo Grolli, as vendas de tratores, colhedoras e pulverizadores certamente serão inferiores em relação aos resultados dos últimos anos. “Como a última edição ocorreu meses antes de os juros médios serem elevados no País, muitos produtores aproveitaram para antecipar as compras e renovar parte do parque de máquinas”, afirmou. Por outro lado, Dilvo Grolli espera uma demanda maior por pacotes de tecnologia, que incluem novos serviços, cultivares e agroquímicos. “Estamos em um momento de retração na economia. É um ano de menos investimento em máquinas e mais em produtividade. Devemos observar uma movimentação maior na parte de agricultura e pecuária”, disse o presidente da Coopavel. SUSTENTAÇÃO A perspectiva apontada por Dilvo Grolli está sustentada nas boas margens de rentabilidade alcançadas pelos produtores de carnes. A demanda internacional aquecida mantém o Paraná na liderança das exportações nacionais de frango, por exemplo. O Estado também está entre os maiores vendedores de suínos. De acordo com a organização do Show Rural, os principais agentes financiadores do agronegócio estão com presença confirmada na exposição. Juntos, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Santander, Sicredi e Sicoob estão disponibilizando R$ 1,5 bilhão aos agricultores que quiserem fechar negócio durante o evento. SEGUNDO BILHÃO Aos 46 anos de idade, a Cooperativa Coopavel pretende alcançar faturamento de R$ 2,25 bilhões neste ano, em comparação ao R$ 1,9 bilhão alcançado em 2015. O crescimento de 18% está calcado numa colheita de grãos 5% maior, além de um aumento de 40% na comercialização de aves, 30% em carne de porco e 20% na venda de insumos para o campo. Ao todo, a cooperativa estima receber de seus associados 850.000 toneladas de soja, milho e trigo. No ano passado, o volume foi de 800.000 toneladas. No caso do trigo, cultivado durante o inverno, a perspectiva é de novo aumento na área plantada. “O Brasil colhe somente 50% de sua necessidade e, como o mercado internacional está com oferta e procura equilibrados, a tendência é que os preços se mantenham estáveis”, finalizou Dilvo Grolli.