Noticias

Itaipu amplia vitrine de agroecologia no Show Rural

A Vitrine Tecnológica de Agroecologia, mantida por Itaipu e diversos parceiros, foi ampliada e tem nova localização, com mais destaque, na área de exposição do Show Rural Coopavel 2016, uma das principais feiras de tecnologia agropecuária do País. O espaço passou de pouco mais de 2 mil m² para 2.600 m² e agora está localizado próximo ao mirante, um dos pontos mais visitados da feira. O Show Rural acontecerá de 1 a 5 de fevereiro, em Cascavel. “É uma satisfação participar novamente dessa feira, pois espaço melhor não há. Para nossa felicidade, esse show acontece aqui, no coração do Oeste do Paraná, onde se concentram esforços de instituições de pesquisa, universidades, cooperativas e, principalmente, da ‘Sua Excelência’, o agricultor”, disse o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Jorge Samek.

Organizada na forma de uma propriedade rural, a Vitrine é uma oportunidade para produtores rurais, principalmente agricultores familiares, tomarem contato com diversas técnicas sustentáveis para produzir mais e melhor, sem agredir o meio ambiente. Na edição de 2015, o espaço recebeu mais de 20 mil visitantes. “Recebemos produtores de todo o país e procuramos dar o máximo de informações possíveis, para que essas técnicas sejam replicadas. Quando o agricultor é daqui da região, também passamos os contatos dos técnicos da Rede de Ater, para que esses produtores possam ter um acompanhamento”, explicou o técnico da Itaipu, Ronaldo Juliano Pavlak, um dos responsáveis pela manutenção e pelo atendimento na Vitrine.

A Rede de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) conta com 30 técnicos e é mantida pelo programa Cultivando Água Boa e parceiros dos 29 municípios da Bacia do Paraná 3. Para esta edição do Show Rural, a Vitrine Tecnológica de Agroecologia foi reconstruída do zero. Ali, é possível ver como pode ser feita a transição do sistema convencional de produção agropecuária para o sistema de base agroecológica.

Segundo Pavlak, as técnicas expostas que mais chamam a atenção dos visitantes são a horta em formato de mandala (que facilita a irrigação e garante maior produtividade); a estufa em bambu; sementes crioulas e plantas alimentares não-convencionais (como cará, inhame, cúrcuma e mangarito); o plantio de culturas consorciadas (em que uma espécie traz benefícios para outra) e sistemas de irrigação alternativos por aspersão, microaspersão e gotejamento. “Para auxiliar na difusão das técnicas e orientações, também distribuímos uma cartilha de agroecologia”, acrescentou Pavlak.

A realização e a organização da Vitrine de Agroecologia é fruto da parceria de 11 organizações governamentais e não governamentais com atuação regional, estadual e nacional: Agência de Desenvolvimento Regional do Extremo Oeste do Paraná (Adeop); Cooperativa Biolabore; Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (Capa); Coopavel; Centro Paranaense de Referência em Agroecologia; Emater; Embrapa; Iapar; Itaipu Binacional; UFPR e Unioeste.

Outras técnicas expostas na Vitrine incluem: relógio biológico de plantas medicinais; caldas e defensivos alternativos; fruticultura temperada e tropical; captação, armazenamento e utilização de água da chuva; bioconstruções; aquecedor solar de água com materiais reciclados; criação de abelhas nativas sem ferrão; adubação verde, consórcios e plantas companheiras; forrageiras, banco de proteína e alimentação animal alternativa; homeopatia animal e vegetal; entre outras.