Noticias

Produtores colhem a soja e iniciam a semeadura do milho

Para não perder tempo e aproveitar as ótimas previsões climáticas, muitos produtores já iniciaram a colheita da soja, seguida da semeadura do milho segunda safra. Como é o caso do associado Alex Bertoti, de Cafelândia que está com ótimas expectativas de altas produtividades, para as duas culturas. “O tempo ajudou muito nesta safra e espero colher mais 180 sacas de soja por alqueires. Além disso, procuro realizar manejos diferentes do tradicional para conseguir melhores resultados de produção”, explicou Alex. O produtor ainda destacou a assistência técnica da Cooperativa que auxilia no planejamento da semeadura até a colheita, sempre alinhada as informações técnicas obtidas por meio das pesquisas e estudos desenvolvidos no Centro de Pesquisa Agrícola (CPA) da Copacol. “Todos os anos surgem novidades e tecnologias ainda mais avançadas para que possamos utilizar em nossas atividades. Precisamos optar por alternativas que possibilitam aumentar a qualidade do solo e a produtividade”, destacou Alex, lembrando que realizou a aplicação de dejetos de suínos e a cama de aviário. Cuidados na semeadura do milho Outros fatores também são importantes e precisam de atenção no momento da semeadura do milho, como informa o gerente técnico Fernando Favero. Cuidados na distribuição e no espaço entre as sementes, por exemplo, vai refletir no resultado final. “É preciso distribuir as sementes de forma adequadas para que as plantas possam emergir de maneira uniforme e equidistante, dentro da população recomendada para cada hibrido, além dos ajustes de população e regular a adubação e a profundidade das sementes. Estes são fatores que fazem a diferença e aumentam o potencial produtivo”, explicou Fernando, lembrando que é importante o produtor manter os equipamentos e maquinários sempre regulados. Pragas Outra orientação da equipe técnica é sobre o manejo de pragas durante a safra de inverno, época que é comum aumentar os casos de percevejos barriga verde, por isso, os produtores precisam adotar manejos que garantam o controle dessas pragas na cultura do milho na região da Copacol. “A evidência dessas pragas a partir do ciclo de emergência do milho associadas as plantas daninhas, que são abrigos para esses percevejos, vão refletir no potencial produtivo do milho. Portanto os produtores precisam fazer o manejo adequado neste início de safra sempre atendendo as orientações da equipe técnica da Cooperativa”, concluiu Fernando.