Noticias

Obras do Portal Turístico de Foz serão retomadas

As obras de construção do portal turístico de Foz do Iguaçu, logo na entrada da cidade, no Portal da Foz serão retomadas. Com uma estrutura abandonada desde 2005, o espaço ganhará um novo projeto, o qual será incluso na projeção geral do alargamento das marginais da BR-277, que tem sua extensão aprovada até próximo à divisa com o município de Santa Terezinha de Itaipu, e que conta com recursos aprovados pelo Ministério das Cidades, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), na ordem de R$ 68 milhões. A intenção é desenvolver a região e aproveitar a estrutura existente. O terreno possui 126 mil metros quadrados e é do município. Ainda em 2005, projetou-se nele a instalação de um Centro Logístico e Industrial Aduaneiro (Clia), porém uma alteração no projeto, durante o processo licitatório, em 2007, destinou o local como um recinto especial para despacho aduaneiro e exportação, mas o processo foi impugnado e teve de ser reiniciado. Uma nova licitação foi vencida pela EADI Sul, que pretendia transformar o local em um porto seco. O prazo para o início das operações foi de 36 meses e venceu em setembro de 2010. No último dia 27 de junho, o prefeito Reni Pereira participou de uma reunião com o secretário Nacional de Transporte e Mobilidade Urbana, Júlio Eduardo dos Santos, onde obteve a autorização para que o novo projeto, de alargamento das marginais da BR-277 fosse estendido próximo à divisa do município de Santa Terezinha de Itaipu. A ampliação autoriza ainda completar o acesso até a região do Alto da Boa Vista, que inclui um quilômetro de extensão do lado direito da margem. E prevê, também, melhorias de mobilidade urbana na região para facilitar o acesso aos Bairros Sol de Maio e Vila Miranda. “Ao mesmo tempo em que podemos dar uma finalidade a esta estrutura abandonada há muitos anos, podemos trazer o desenvolvimento urbano para aquela região, que é nobre na cidade. Com novo acesso ao Bairro Alto da Boa Vista e Sol de Maio. Atualmente, todo o acesso é feito por Três Lagoas, com um único acesso. Quanto à estrutura construída na época, ainda não há uma destinação. Vamos conversar com a sociedade e buscar uma solução”, comentou o prefeito Reni Pereira.