Turismo

Foz do Iguaçu será primeiro destino turístico halal do Brasil

Prefeito Chico Brasileiro assinou documento com representantes da Cdial Halal e Câmara de Comércio Árabe-Brasileira em Dubai; objetivo é tornar cidade ainda mais atrativa para comunidade árabe-muçulmana

Os colaboradores dos estabelecimentos turísticos de Foz do Iguaçu (hotéis, restaurantes e similares) serão capacitados em serviços halal, o que vai permitir que a cidade atraia ainda mais turistas árabes. É o que prevê um protocolo assinado pelo prefeito Chico Brasileiro na terça-feira (12) em Dubai, com representantes da Cdial Halal e a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira (CCAB). O ato contou com a participação do governador Carlos Massa Ratinho Junior.

"Foz do Iguaçu abriga a segunda maior comunidade árabe do Brasil e essa capacitação dos trabalhadores dos estabelecimentos de turismo vai tornar nosso município um polo atrativo para os países árabes", disse Chico Brasileiro. "Com este protocolo seremos a primeira cidade do Brasil com os serviços preparados para esse público", ressaltou.

O CEO do Cdial Halal, Ali Saifi, explicou o que significa a assinatura deste acordo para o turismo de Foz do Iguaçu. "Além de ser tão maravilhosa com todas as atrações que oferece, será uma cidade preparada com todos os produtos halal, treinamento de equipes, como lidar com os muçulmanos, como tratá-los, como na questão da alimentação, segregação de alimentos. Essa parceria terá muitos frutos tanto para os muçulmanos como para a cidade e a região", reforçou.

“Um destino turístico halal tem ambientes que oferecem serviços, desde alimentação, oração e hotéis, com o conceito halal, e isso atrai a população de muçulmanos, que são aproximadamente 2 bilhões no mundo”, complementou o diretor de Assuntos Internacionais da prefeitura de Foz, Jihad Abu Ali.

A comunidade árabe-muçulmana de Foz do Iguaçu e Ciudad del Este (Paraguai) começou a ser formada em 1950 e ganhou força na década de 1980, com a construção da Itaipu Binacional. Em 1983, foi aberta a Mesquita Omar Ibn Khatab, a maior da América Latina.

Um dos fatores que estimulou a migração muçulmana para a Tríplice Fronteira (incluindo a Argentina), é o fato das empresas que realizam abate de aves e bovinos seguirem os preceitos halal. Aproximadamente 25 mil cidadãos árabe-muçulmanos, incluindo descendentes, residem atualmente na região.

Contexto

A assinatura do protocolo com Foz do Iguaçu ocorreu durante reunião organizada pela Cdial Halal e a CCAB com autoridades políticas e empresários, para fortalecer e discutir a ampliação do comércio bilateral com o Paraná. O estado tem uma importante representatividade na produção e exportações do agronegócio, sobretudo no segmento de proteína animal.

O Paraná, segundo dados do Comextat, gerou receita de exportação de US$ 14.394 bilhões de janeiro a setembro de 2021, representando uma alta de 6,82% em relação ao mesmo período de 2020. O estado lidera as exportações de frango no Brasil, sendo responsável por 40% deste segmento.

São 31 plantas habilitadas para abate de frango com o método produtivo que respeita as crenças do consumidor muçulmano, informa o Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar). O Paraná tem uma das maiores expertises do Brasil no sistema, com apoio da Cdial.

Produtos Halal

Além de estreitar relações, a Cdial Halal expôs no encontro com Ratinho Junior e Chico Brasileiro as possibilidades de ampliação de exportação da produtos halal aos mercados mulçumanos. O Paraná é um importante fornecedor para estes mercados, como também em outras categorias.

O CEO do grupo, Ali Saifi, ressaltou que o setor com maior movimento de receita é o de alimentos e bebidas, responsável por 58% do faturamento global. Mas vestuário, chocolates, produtos de padarias e refeições congeladas estão com importante crescimento.

Avanço

Para o governador Ratinho Junior, o encontro foi uma oportunidade importante. “Já temos uma relação de confiança com o mercado produtivo, mas este evento também nos abriu outras possibilidades de parceria com a comunidade árabe, um nicho da população que tem a necessidade de produtos produzidos com respeito ao halal”, disse.

“Tínhamos uma visão limitada, apenas voltada aos alimentos, mas o Paraná também possui a área de cosméticos, produção de vestuário e tantas outras áreas importantes para a comunidade muçulmana, que podemos continuar e ampliar esta importante parceria”, completou o governador.

Para o presidente da Câmara de Comércio Brasil-Árabe, Osmar Chofi, o “encontro permitiu que todos os presentes tivessem noção de qual é a relevância do tema halal no comércio e na relação social e cultural do mundo islâmico”.

Além do diretor de Assuntos Internacionais, também integram a comitiva de Foz do Iguaçu, que acompanha o prefeito Chico Brasileiro na Expo Dubai 2020, Celia Regina de Andrade, da Diretoria de Promoção, Marketing e Eventos da Secretaria de Turismo; e Leandro Vandré Heineck, da Diretoria de Captação de Investimentos, Projetos Estratégicos e Inovação da pasta.