Agronegócio

Valor Econômico: anuário põe cooperativas paranaense em destaque no cenário nacional

Um dos dois principais levantamentos (o outro é o da revista Exame) que medem o desempenho da economia brasileira, o recém-divulgado anuário Valor 1000 mostrou a resiliência, a resistência e a superação das grandes companhias na travessia da pandemia.

A despeito da recessão econômica decorrente da Covid-19, a receita líquida das 1000 maiores empresas registrou crescimento nominal de 10,1% em 2020, para um agregado de R$ 4,72 trilhões.

Puxada pela performance positiva da receita líquida consolidada do agronegócio, foi a segunda melhor taxa de evolução anual nos últimos sete anos, inferior apenas ao avanço de 17,2% de 2018.

Além de listar as 1000 maiores empresas do País, o ranking do jornal Valor Econômico também apontou 26 campeãs setoriais, identificadas a partir da análise de oito critérios de avaliação contábil e financeira.

Entre as dez mais bem pontuadas no segmento agropecuário aparecem, pela ordem de classificação, as cooperativas agroindustriais paranaenses Coamo (5ª posição), Lar (7ª) e C.Vale (9ª).

Em faturamento, a Lar saltou na classificação geral do 101° lugar em 2019 para o 78° no anuário 2021, tornando-se a 11ª maior empresa dos três estados do Sul.

 

CONFIRMAÇÃO

O ranking do Valor Econômico veio confirmar uma pesquisa recente encomendada ao Instituto Opinião pela Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná) e apresentada aos prefeitos na mais recente assembleia geral da entidade.

Em um dos itens do questionário, respondendo à pergunta "Quais dessas empresas você acredita representar mais o Oeste do Paraná?”, os entrevistados, a partir de uma lista com os nomes das maiores companhias da região, apontaram, pela ordem de preferência, Itaipu Binacional, Cooperativa Lar, Frimesa, Coopavel, Copacol, Muffato, C. Vale e Copagril.