Noticias

Reni Pereira sanciona lei e amplia projeto em Foz

Estimular a cultura da responsabilidade social e ambiental de todos. Esse é um dos objetivos da lei que institui o Programa Adote uma Praça, sancionado pelo prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira. Empresas privadas, instituições ou entidades não governamentais, poderão fazer essa adoção e cuidar da manutenção, reforma e melhorias nessas áreas. Em contrapartida, será permitido que esse parceiro do município e dos cuidados com o meio ambiente e espaço de lazer, faça a veiculação de publicidade no local. O município já contava com uma lei de 2007 de adoção de praças, em consonância com essa permissão já existente, a nova lei amplia os espaços que podem ser cuidados por meio do programa. Foram incluídos, além das praças, os canteiros centrais, rotatórias, áreas de ginástica e lazer. O adotante poderá realizar nesses locais, urbanização, manutenção e conservação. Atividades essas que a divisão de paisagismo e manutenção da Secretaria de Meio Ambiente promove periodicamente. Com essa parceria, por meio da adoção, será possível ampliar esse trabalho. O Programa Adote uma Praça, além de oferecer locais mais agradáveis para lazer, prática de esporte e educação ambiental, vai ajudar a mudar a cultura dos moradores e das famílias que moram próximas a esses espaços, que serão convocados a cooperar com essa preservação ambiental e de identidade do local. Um exemplo de aplicação dessa lei é a Praça do Jardim Presidente. A Umamfi –União Municipal Associação de Moradores e a Secretaria de Meio Ambiente, fizeram a recuperação dessa área. Os serviços incluíram arborização, paisagismo, plantio de grama e instalação de academia. A área antes de terra, agora é um ponto de encontro e lazer daquela comunidade. De acordo com o diretor de Meio Ambiente, Carlos Milioli, o município possui 45 praças espalhadas pelos bairros da cidade, além dos canteiros, rotatórias, áreas de ginástica e lazer. A adoção desses espaços vai requerer que o interessado apresente um projeto completo de investimento e execução de serviços, de acordo com os critérios estabelecidos pelo município, no setor de protocolo da Prefeitura. A proposta será analisada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e o Conselho Municipal de Meio Ambiente.