Noticias

Foz recebe mostra fotográfica de Sebastião Salgado

As fotos, feitas ao longo da década de 1980 e início dos anos 90, ainda provocam o mesmo impacto de quando foram publicadas em livro e exibidas nas mais importantes cidades do mundo. Mescla de reportagem e arte, a mostra “Trabalhadores”, de Sebastião Salgado, está em cartaz no Ecomuseu de Itaipu, em Foz do Iguaçu. A exposição traz 150 fotos de uma série de 29 reportagens sobre trabalho manual que contam – segundo depoimento do próprio fotógrafo – “o fim da grande Revolução Industrial”. Salgado registrou trabalhadores de 25 países, principalmente do Terceiro Mundo, mas também da França, Polônia, Rússia e até dos Estados Unidos. Foram essas reportagens que tornaram Salgado aquilo que ele nunca quis ser: uma celebridade. “Meu trabalho não é arte e eu certamente não penso em mim como um artista: é reportagem”, diz o fotógrafo, que esteve em Foz do Iguaçu na abertura da exposição, no dia 6 de junho. “Eu sou antes de tudo um jornalista”, reafirma. “INFERNOS” O seu método de trabalho, no entanto, é o de um artista. Cada foto sua, sempre em preto-e-branco, exige paciência e muito trabalho. Ele mesmo repete, rindo, o comentário de alguém que acompanhou a produção de algumas das fotos: “Sebastião, ver você trabalhar é como contemplar como cresce a grama”. Foi assim que ele conseguiu resultados fantásticos em “infernos industriais” que incluem o garimpo de Serra Pelada, no Brasil, as minas de enxofre na Indonésia, os estaleiros de desmanche de navios em Bangladesh, a pesca de atum na Sicília, a escavação de canais de irrigação na Índia, um fétido matadouro em Dakota, no Sul dos Estados Unidos e o combate a incêndios colossais em poços de petróleo no Kwait, entre outros trabalhos e países. NA EUROPA Em meados dos anos 1990, depois da publicação do livro “Trabalhadores”, que se encontra esgotado no Brasil, a exposição passou por praticamente toda a Europa. Em Madri, na Espanha, duas mil pessoas por dia fizeram fila para ver a mostra, na Biblioteca Nacional, durante seis semanas. Quando a exposição chegou ao Royal Festival Hall, de Londres, o jornal “The Independent” classificou as fotos de Salgado como “irrepreensivelmente românticas” e destacou que elas registram “os operários do mundo”, aqueles “que ainda trabalham com a mão e o suor de seu rosto”. GÊNESIS Além da mostra “Trabalhadores”, em Foz do Iguaçu, Sebastião Salgado tem outra exposição em cartaz no Brasil – “Gênesis”, uma coleção de 245 imagens capturadas em oito anos de viagens aos lugares mais extremos e impressionantes do planeta. A exposição já passou pelo Rio de Janeiro, São Paulo, Santo André, Porto Alegre e atualmente está em cartaz em Belo Horizonte, até 24 de agosto, no Palácio das Artes. INGRESSOS E HORÁRIOS A exposição ficará aberta ao público até 7 de setembro, período que abrange as férias escolares e a Copa do Mundo. O horário de funcionamento é de terça-feira a domingo, das 8h30 às 16h30. A entrada no Ecomuseu de Itaipu é gratuita para os moradores de Foz do Iguaçu e dos demais municípios da área de influência de Itaipu (29 municípios da Bacia do Paraná 3). Visitantes de outras localidades ou estrangeiros que adquirirem ingresso para a visita especial à Usina de Itaipu ganham ingresso de cortesia para o Ecomuseu.