Noticias

Prêmio promove a cultura da igualdade de gênero

Furnas Centrais Elétricas S.A., Home Care Cene Hospitallar e Feito Brasil Indústria de Produtos Artesanais Ltda. levaram ouro no Prêmio WEPs Brasil, nas categorias grande, média, micro e pequena empresas, respectivamente. Elas estão entre as 20 organizações que se destacaram na promoção da cultura da igualdade de gênero em seus ambientes internos. A solenidade de premiação foi no último dia 31, no Teatro Positivo, em Curitiba. Durante a cerimônia, a diretora financeira executiva de Itaipu, Margaret Groff, idealizadora do prêmio e organizadora do evento, anunciou a realização do Prêmio WEPs Brasil 2016. “Essa segunda edição certamente irá repercutir ainda mais e, por consequência, o número de empresas participantes será ampliado”, disse Margaret. Lena Peron, presidente da Feito Brasil, dedicou o prêmio a todas as mulheres brasileiras oprimidas. “Em um país como o Brasil ter esse reconhecimento é uma honra”, afirmou. A presidente da Home Care Cene Hospitallar, Sueli Noronha Kaiser, dedicou a premiação “a todas as mulheres presentes, vencedoras, trabalhadoras, poderosas”. Olga Cortes Simbalista, diretora de gestão de Novos Negócios e Participações de Furnas Centrais Elétricas, falou da importância de estar representando a empresa na premiação. “É um prazer enorme estar aqui. Sou a primeira diretora de Furnas. Esse prêmio levanta questionamentos, faz dirigentes de empresas pensarem. Não tem nada melhor que o exemplo”. SEGUNDA EDIÇÃO DO WEPS Para a diretora Margaret Groff, “mais importante ainda será a possibilidade de ampliar a consciência no meio empresarial sobre a importância da equidade de gênero e do empoderamento da mulher”. E frisou: “Essa é uma luta que vale a pena, porque ela pode representar a sobrevivência das próprias empresas brasileiras e a garantia de que o País se aproximará daqueles que estão num estágio de progresso que, para nós, ainda não passa de um sonho”. O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, que entregou o prêmio para Furnas, disse que a luta das mulheres só terminará quando a equidade de gênero estiver incorporada à cultura dos povos. “Cada homem e cada mulher tem um papel importante para facilitar esse processo. Na Itaipu Binacional, quando assumi o cargo de diretor-geral brasileiro, em 2003, eram raros os cargos de chefia exercidos por mulheres. Onze anos depois, a situação é bem diferente, embora ainda esteja longe do ideal. Espero que uma diretora-geral venha me substituir”. A promoção do prêmio é da Itaipu Binacional, em conjunto com o Portal Tempo de Mulher e o Espaço das Mulheres Executivas do Paraná (MEX-PR), com a parceria de diversas empresas e instituições. A iniciativa tem a chancela do Pacto Global da ONU e da ONU Mulher, criadores dos WEPs. APRENDIZADO Das 186 empresas inscritas no prêmio WEPs, 75 estavam habilitadas tecnicamente para a disputa, por atenderem pelo menos a alguns dos princípios de equidade de gênero e empoderamento da mulher. Todas as regiões do Brasil estavam representadas. Dessas, 32 chegaram à final. Entre os sete princípios de empoderamento da mulher, constatou-se que se destacou aquele que trata da educação, formação e desenvolvimento profissional das mulheres. Quase 90% das empresas habilitadas relataram que fazem o acompanhamento formal de desempenho de homens e mulheres, sem discriminação, e que as empregadas têm as mesmas oportunidades de treinamento. O percentual de atendimento ao princípio de número um, que trata do comprometimento da liderança da empresa com a equidade de gênero, atingiu 68%. Nesse item, cerca de 30% das empresas apresentaram pontuação próxima à nota máxima do Princípio.