Turismo

Investimentos são direcionados ao Turismo em Foz do Iguaçu

Os investimentos públicos e privados no turismo de Foz do Iguaçu passam de R$ 2 bilhões e apontam para a confiança em alcançar três milhões de visitantes por ano a médio prazo, em um período de três a 10 anos na Tríplice Fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

A lista inclui ampliação dos atrativos no Parque Nacional do Iguaçu (R$ 500 milhões), Hard Rock (R$ 500 milhões), Yup Star Foz (R$ 200 milhões), Aquafoz (R$ 100 milhões), novo Hotel Viale (R$ 100 milhões), grupo Dreams (R$ 70 milhões), Movie Cars (R$ 60 milhões), reformas e ampliações de hotéis (R$ 300 milhões), lojas francas (R$ 60 milhões) e Shopping JL (R$ 50 milhões).

"Se incluir a duplicação da BR-469 (R$ 187 milhões), novo aeroporto Cataratas (R$ 113 milhões), segunda ponte (R$ 323 milhões), perimetral leste (R$ 336 milhões) e a  revitalização do marco paraguaio (R$ 30 milhões), os investimentos passam de R$ 3 bilhões, destaca o prefeito Chico Brasileiro.

Nessa conta também não entram as reformas, ampliações e instalação de restaurantes, churrascarias e cantinas, dos atrativos e nem os R$ 512 milhões que a concessionária pretende investir nos próximos 30 anos no aeroporto de Foz do Iguaçu.

"Há uma grande confiança, eu diria até certeza, que Foz do Iguaçu receberá mais de três milhões de visitantes nos próximos anos. Toda essa estrutura, esses empreendimentos, vão garantir o bem-estar do visitante", ressaltou Chico Brasileiro. 

"São mais atrativos, mais opções de hospedagem e serviços, o que vai esticar a permanência do turista em mais dois, três dias, uma semana". O prefeito disse ainda que os novos hotéis, atrativos e serviços vão demandar de uma mão de obra qualificada e que ainda não há um impacto do contingente de trabalhadores que serão contratados nos próximos anos. 

"Serão vagas para todos as categorias que atendem o setor e estaremos preparados para qualificá-los a um mercado que requer, por exemplo, o domínio de mais uma língua e a prestação de um serviço de qualidade", disse.

Projeções

Entre os empreendimentos, a bandeira Hilton será instalada no novo hotel do grupo Viale, que será inaugurado nos próximos dias num investimento de R$ 100 milhões. Serão 252 apartamentos, quatro piscinas, spa, academia, três quadras de tênis, quadra de beach tênis, quadra poliesportiva, sala de jogos, três bares e dois restaurantes. A área é de 35 mil metros quadrados.

"Teremos pelo menos mais dois mil leitos que serão abertos nos próximos anos. Todos os empreendimentos em construção focam num segmento turístico de retorno muito grande", afirma Marcelo Martini, presidente do SindiHotéis.

"Mas há também hospedagem para todos os níveis e todos os bolsos. Foz do Iguaçu já vive um bom momento, com o retorno dos visitantes, e o grande movimento nos hotéis, restaurantes e atrativos.  O setor vai avançar mais ainda com novas campanhas e um forte trabalho de divulgação nos grandes centros", disse Marcelo Martini, presidente do SindHotéis. A cidade tem atualmente 28 mil leitos e 160 hotéis, resorts, hostels e pousadas.

Empreendimentos

O sindicato aponta ainda que na Yup Star Foz, está prevista a construção do resort Aquan by Gramado Parks, com 360 apartamentos. Considerando o hotel e a roda gigante, projeto começado em 2018, a Gramado Parks fez um investimento de R$ 200 milhões. 

O grupo Dreams vai investir mais de R$ 70 milhões nos próximos dois anos, com novidades dentro do complexo em Foz. Serão construídos mais três empreendimentos, entre eles uma loja duty free e mais duas atrações temáticas. As obras devem começar ainda no mês de maio, com a conclusão prevista em até dois anos e a abertura de mais 200 novas vagas de trabalho.

A inauguração de uma unidade da rede Hard Rock Hotel segue mantida para 2025 e deve gerar 650 empregos diretos e outros dois mil empregos indiretos, além de movimentar toda uma cadeia produtiva da região. Estão previstos mais de 560 apartamentos, a maioria deles com suítes. A rede anunciou um investimento de R$ 7 bilhões em oito unidades no Brasil, entre elas, a de Foz do Iguaçu.

A nova concessão do Parque Nacional do Iguaçu prevê investimentos de R$ 500 milhões nos próximos cinco anos em novas infraestruturas e outros R$ 3,6 bilhões na operação do parque nos próximos 30 anos. Em função da pandemia, segundo a concessionária, as novas obras podem começar já em 2023.

Números de 2019

O mesmo grupo, explora a concessão do Marco das Três Fronteiras, vai construir o AquaFoz, um investimento de R$ 100 milhões, ao lado do Parque Nacional do Iguaçu, numa área de 23 mil metros quadrados. A obra ainda não começou, mas o grupo mantém a inauguração para 2024.

O Marco das Três Fronteiras deve ser reformado e o Espaço das Américas, revitalizado. As novas ações nesses três espaços, segundo o grupo, terão novidades entre junho e julho. "Nós estamos praticamente com os números que tínhamos na pré-pandemia em 2019". 

"O último feriado do Tiradentes foi histórico, a maior ocupação desde que começamos a estudar os números. Estamos em um momento excelente da retomada, a questão é trabalhar cada vez mais o produto turístico Foz do Iguaçu na prateleira", disse Paulo Angeli, secretário de Turismo, Projetos Estratégicos e Inovação. 

"Estamos participando de todos os eventos nacionais de turismo e tecnologia. Em todos os eventos em que a Embratur participa no exterior, Foz do Iguaçu esta em destaque. Enviamos técnicos da secretaria para conversar e interagir com operadores. Estamos  em todos os eventos e é um grande momento para retornar o turismo", completou Angeli.