Jornal a Voz do paraná
HomeNoticiasRatinho Junior: governar o Paraná é meu sonho

Ratinho Junior: governar o Paraná é meu sonho

Ratinho Junior: governar o Paraná é meu sonho

Cascavel recebeu na quinta-feira (18), a ilustre visita do secretário de Desenvolvimento Urbano do Paraná, Ratinho Junior, durante a primeira assembleia do ano da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop).

Ratinho foi recebido pelo presidente da entidade, Amarildo Rigolin, que ressaltou o carinho e admiração pelo secretário. “Para mim, como presidente, é uma alegria receber um secretário do Estado com nome igual o Ratinho. Uma pessoa simples, humilde, igual a nós e atendendo o Oeste do Paraná. Essa visita é muito importante para a região”, enfatizou Rigolin.

Em entrevista ao jornal A Voz do Paraná, Ratinho ressalta sua paixão pela política, sua garra e vontade de lutar pelos municípios e pelo povo do Paraná. “Eu faço política com muita alegria, gosto de fazer política. Nu na verdade, sou empresário e faço política porque acredito que eu posso contribuir de alguma maneira com o meu Estado, com o meu País. Faço com uma dedicação de cidadão e enquanto eu entender que isso está colaborando com o Estado, vou continuar fazendo, a partir do momento em que as pessoas entenderem que o nosso trabalho não está mais dando resultado, automaticamente, vou ter que sair, mas eu quero poder fazer uma carreira política no Paraná para poder ajudar meu Estado, essa é a minha missão. Logicamente que sonho em poder um dia governar o Paraná, esse é um desejo e um sonho que está dentro do meu coração. Aprendi a amar o Paraná e eu fico feliz em poder ver as realizações que temos feito, o que eu faço é acordar as 5 horas da manhã e ir trabalhar, tomara que essa dedicação possa resultar em algum fruto”, ressaltou o secretário.

Ratinho Junior ressaltou também a ótima situação fiscal que vive o Estado do Paraná, por meio da administração do governador Beto Richa. “O Paraná vive um bom momento. Dos 27 estados, 22 não conseguiram dar aumento a seus servidores, o Paraná deu. Se você pegar os estados mais importantes, a exemplo de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, tirando São Paulo, não conseguiram pagar o 13º salário, tiveram que fazer em 3 ou 4 vezes. Nós estamos com o quadro de servidores organizado em termos salariais. Estamos hoje com dinheiro para fazer investimentos na área de infraestrutura, que é fazer recape asfáltico e fazer algumas duplicações importantes. Se compararmos com o passado e com os demais estados nesse momento, o Paraná vive um momento que não vivia por bons anos. Eu estou otimista, acredito que essa crise nos faz ficar mais atentos, mas temos que enfrentar o leão e ir atrás de resolver os problemas”, enalteceu.

Leia, a seguir, a íntegra da entrevista:

Jornal A Voz do Paraná – Quando o secretário anuncia aos prefeitos, que o governo não tem problema de dinheiro em relação a sua pasta, como que se chega a esse ponto? Como se alcança esse patamar?

Ratinho Junior – Nós estamos conseguindo fazer um bom trabalho com os prefeitos do Paraná. Hoje são os quesitos básicos, a prefeitura tem que estar com as certidões em dia e tem que ter projetos, porque nós não fazemos projetos, quem faz é a prefeitura, nós analisamos e instruímos o seu encaminhamento. Nós cobramos muito dos prefeitos e graças a Deus, isso melhorou bastante. Tivemos muitos problemas com isso no começo, depois foi melhorando. Hoje é meio que automático, os prefeitos chegam na Sedu já com o projeto pronto, o projeto passa por toda uma análise e depois é encaminhado para a Secretaria do Tesouro Nacional, que nos avaliza para fazer o repasse de recursos para os municípios. Graças a essa sistemática, conseguimos diminuir o prazo de 6 meses que se levava antigamente para aprovar um projeto, para os 35 dias. Dessa forma, todos saem ganhando. O governo quer atender os municípios e os prefeitos querem realizar suas obras.

Jornal A Voz do Paraná – Esse volume de recurso que é inédito?

Ratinho Junior – Temos duas maneiras de captá-lo, uma é através do governo do Estado pela Secretaria da Fazenda aportando recursos na Fomento Paraná, que é a agência financeira do Estado ou através de uma parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com quem nós já temos uma parceria histórica no Paraná (15 anos) e nós já temos pré-aprovado com eles um volume de 150 milhões de dólares, sendo que 50 milhões seriam para o ano de 2016. Dependemos apenas do Senado aprovar o pedido passando pela Comissão de Assuntos Econômicos, na sequência, o volume de recursos entra no caixa do governo, que por sua vez é destinado aos municípios.

Jornal A Voz do Paraná – E a receptividade dos prefeitos em relação à sua secretaria?

Ratinho Junior – É difícil a gente falar da gente, mas eu estou muito feliz, acredito que estamos conseguindo fazer um bom trabalho. Eu tenho esse perfil de não ficar no gabinete, eu acabo fazendo muitas reuniões na região, porque eu acho que a hora que você sai da sala, você consegue ter mais um choque de realidade do que está acontecendo, você ouve os prefeitos. Os prefeitos muitas vezes fazem apontamentos que você, dentro da secretaria, acaba não vendo. Isso nos ajuda a melhorar a prestação de serviços. Espero poder estar fazendo o meu papel e poder estar ajudando os prefeitos a ajudarem o Paraná.

Jornal A Voz do Paraná – O Paraná vive um bom momento?

Ratinho Junior – Se compararmos os anos passados, em especial o ano de 2015, que foi um ano muito duro e se analisarmos o que está acontecendo com os outros estados, o Paraná vive um bom momento. Dos 27 estados, 22 não conseguiram dar aumento a seus servidores, o Paraná deu. Se você pegar os estados mais importantes, a exemplo de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, tirando São Paulo, não conseguiram pagar o 13º salário, tiveram que fazer em 3 ou 4 vezes. Nós estamos com o quadro de servidores organizado em termos salariais. Estamos hoje com dinheiro para fazer investimentos na área de infraestrutura, que é fazer recape asfáltico e fazer algumas duplicações importantes. Se compararmos com o passado e com os demais estados nesse momento, o Paraná vive um momento que não vivia por bons anos. Eu estou otimista, acredito que essa crise nos faz ficar mais atentos, mas temos que enfrentar o leão e ir atrás de resolver os problemas.

Jornal A Voz do Paraná – Percebemos que a sua chegada gerou uma expectativa, todos os prefeitos estavam aguardando a sua visita, a sua entrada no recinto da Amop, que criou um alvoroço. Esse sentimento de receptividade que se observa em relação a você e ao resultado do seu trabalho tende a se projetar em um futuro político que você espera acontecer?

Ratinho Junior- Eu faço política com muita alegria, gosto de fazer política. Nu na verdade, sou empresário e faço política porque acredito que eu posso contribuir de alguma maneira com o meu Estado, com o meu País. Faço com uma dedicação de cidadão e enquanto eu entender que isso está colaborando com o Estado, vou continuar fazendo, a partir do momento em que as pessoas entenderem que o nosso trabalho não está mais dando resultado, automaticamente, vou ter que sair, mas eu quero poder fazer uma carreira política no Paraná para poder ajudar meu Estado, essa é a minha missão. Logicamente que sonho em poder um dia governar o Paraná, esse é um desejo e um sonho que está dentro do meu coração. Aprendi a amar o Paraná e eu fico feliz em poder ver as realizações que temos feito, o que eu faço é acordar as 5 horas da manhã e ir trabalhar, tomara que essa dedicação possa resultar em algum fruto.

Jornal A Voz do Paraná – Chegar ao governo do Estado passa necessariamente pela Prefeitura de Curitiba?

Ratinho Junior – Acredito que não. Tivemos aí o senador Álvaro Dias, tivemos o governador Paulo Pimentel e o próprio José Richa que não foram prefeitos da Capital, criou esse hábito de dizer que o governador tem primeiro que ser prefeito de Curitiba, e não é assim, Curitiba quer fazer um monopólio político do Estado o que eu acho uma bobagem. O governador tem que ter experiência política, tem que ter sensibilidade social acima de tudo e tem que conhecer o Paraná. Então, uma boa parte disso eu já conquistei, já aprendi e tenho buscado aprender cada dia mais. E acho que o Paraná não pode ficar vinculado apenas a uma cidade, apesar de ser a Capital que nós respeitamos, é o pulmão econômico, mas politicamente, o Paraná tem muitas lideranças importantes e não pode ficar limitado a uma cidade.

Jornal A Voz do Paraná – Você é candidato nas próximas eleições ao governo do Paraná?

Ratinho Junior – Sonho com isso. Vai depender do povo e de seu reconhecimento ao nosso trabalho, acima de tudo, para isso a nossa dedicação é total à nossa atividade, não paramos um instante, trabalhamos nos feriados e nos finais de semana, mesmo em que algumas vezes estejamos sacrificando a nossa família, mas o resultado é válido quando pensamos que o Paraná vale qualquer sacrifício.

Jornal A Voz do Paraná – Fale um pouco da região Oeste, a qual o senhor tem um carinho muito grande…

Ratinho Junior – A região Oeste é uma localidade importante para o desenvolvimento do Estado, por quê? Porque ela passou nas últimas décadas, nos últimos anos, por todo o trabalho que foi feito para ser um pulmão econômico muito importante do Etado, isso é muito difícil de acontecer, muitas vezes, o estado, o país e até mesmo a cidade, para descobrir a sua vocação passar por um processo demorado, mas o Paraná tem isso na veia, que é o agronegócio, que é o que está sustentando o Brasil. A Alemanha se tornou essa potência mundial porque se especializou em engenharia; o Japão, sendo uma ilha, se tornou potência mundial porque se especializou em tecnologia; os Estados Unidos da América em engenharia e arma bélica; o Brasil tem que entender que a nossa vocação é ser a fazenda do planeta. O Paraná é a fazenda do planeta e a fazenda do Brasil. O agronegócio é o que gera a grande economia do nosso Estado, só que nós temos que aprofundar isso, de que forma? É chamar essas grandes cooperativas, sentar com eles e decidir junto o que é bom para o Estado, o que nós temos que fazer? O que o poder público pode facilitar sua vida? É isso o que eu vejo, então o Oeste tem esse know-how todo que pode fazer de nós referência e ajudar outras regiões menos organizadas. A região Oeste tem essa vocação, podemos pegar essa inteligência que foi desenvolvida durante décadas por pioneiros daqui e levar para outras regiões do Estado que muitas vezes tem um IDH baixo, mostrando que o agronegócio, vindo da agricultura familiar ou vindo da agricultura de escala, pode ajudar o nosso Estado a gerar mais empregos e aquecer a sua economia.

 Jornal A Voz do Paraná – O seu Partido, o PSC, pretende lançar a candidatura do deputado Leonaldo Paranhos à Prefeitura de Cascavel. Como você vê essa situação?

Ratinho Junior – O deputado Paranhos é um político atuante e preparado, certamente, se esse for o sonho dele em vir a governar Cascavel, o nosso partido estará muito bem representado além, é claro, de sentirmos nele um grande apelo popular. Paranhos consegue arrebatar as massas e isso por si só é meio caminho andado para se atingir uma vitória nas eleições municipais, sem falar que ele terá todo o nosso apoio.

Rate This Article
Author

notificacao@agenciacaos.com